Skip to content

Dia: 18 de Fevereiro, 2019

o que é e dieta adaptada

O que propriedades tem o sorbitol?

sorbitol

molécula de glicose e de sorbitol

São inúmeras as propriedades com as que conta o açúcar e, por isso, seu uso é muito comum tanto na indústria alimentar, como a farmacêutica ou de cosméticos.

Propriedades Físico-Químicas

Graças à sua natureza polialcohol e sua estrutura química conta com:

  • Estabilidade térmica
  • Estabilidade química frente aos tratamentos térmicos, evitando possíveis alterações
  • Grande resistência contra microorganismos: prolongando a vida útil do alimento

Propriedades Nutricionais

  • Efeito Prebiótico: o sorbitol é absorvido no intestino delgado, mas pode atingir o intestino grosso, sendo utilizado por bactérias da espécie Lactobacillus e Bifidobacterium exercendo um efeito prebiótico. São muitos os estudos de investigação por fazer já que até o momento não há documentação suficiente que garantem esse efeito.
  • Efeito Laxante: pode gerar diarréia. Para que isto não ocorra, recomenda-se não superar a dose de 0,17 e 0,24 g/kg de peso em mulheres e homens respectivamente.
  • Baixo Valor Calórico: sua contribuição é de 2,4 Kcal/g em frente às 4 Kcal/g de sacarose (açúcar comum). Isso se deve a sua baixa digestibilidade. Fornece 60% das calorias por grama, mantendo o seu poder adoçante.
  • No Mínimo, aumento dos níveis de glicose e insulina no sangue: uma vez absorvido, o sorbitol é metabolizada sem necessidade de agir da insulina, que é a porta de entrada do açúcar nas células, o que permite que possa ser adequado para diabéticos.
  • Não causa desmineralização nem cárie dentária: esta característica faz com que se torne um ingrediente perfeito para medicamentos, chicletes ou gomas, entre outros produtos.

Onde você pode encontrar sorbitol?

O sorbitol é um tipo de açúcar que se encontra de forma natural no grupo das frutas, mas em algumas delas, em maior concentração. Se você sofre de intolerância ao sorbitol, o seu consumo será mais ou menos limitado de acordo com o grau de intolerância que existe.

Na tabela abaixo você pode ver o conteúdo em sorbitol de frutas diferentes:

FRUTAS FRESCAS

(g sorbitol por 150 g de ração)

FRUTAS EM CONSERVA

(g sorbitol por 150 g de ração)

FRUTAS SECAS

(g sorbitol por 20 g de ração)

Pera

3,26

Suco de maçã

0,84

Ameixas

1,31

Ameixa

2,12

Fresas de lata

0,05

Floração de pêssego

1,08

Pêssego

1,34

Néctar de groselhas vermelhas

0,04

Floração de damasco

0,92

Damasco

1,23

Sumo de bagas de sabugueiro

0,03

Maçã seca

0,51

Maçã

0,77

Néctar de groselhas pretas

0,03

Tâmaras secas

0,27

Uvas

0,3

Framboesas lata

0,02

Uvas passas

0,17

Morangos

0,05

Framboesas

0,01

Mirtilo

0,01

Se nos referimos a produtos elaborados, nos encontramos com uma ampla gama dentro e fora do âmbito da alimentação que o incluem na sua composição. O uso do sorbitol como aditivo é permitido na União Europeia e pode aparecer como “Sorbitol” (E420i) ou “Xarope de Sorbitol” (E420ii).

Se você sofre de intolerância ao sorbitol é importante que, antes de consumir qualquer produto consultar o rótulo. Pode ser encontrado em:

Produtos Alimentares

  • Geléias, Compotas, produtos de pastelaria e confeitaria, gelados, chocolates revestidos, Produtos light ou produtos “sem açúcar”: o uso do sorbitol destes produtos confere mais estabilidade, melhores características organolépticas, além de não danificar os dentes. Se você está fazendo uma dieta para perder peso ou você consumir produtos “light” olhe atentamente para a sua rotulagem. É fácil que o contenha, já que o sorbitol fornece menos calorias e é mais doce do que outros tipos de açúcares.

Produtos Cosméticos

  • Pastas de dentes: seu uso permite dar maior plasticidade, sabor doce e melhor solubilidade.

Aplicações Farmacêuticas

  • Cremes de uso tópico e Xaropes: antes de usar um creme, é importante que se certifique de que está isenta de sorbitol, pois caso contrário este será absorvido pela pele e passa para a corrente sanguínea, causando os sintomas próprios da intolerância ao sorbitol.

Intolerância ao sorbitol

Uma reação de intolerância é causada por uma substância que não é tóxica e que afecta apenas pessoas suscetíveis. É uma resposta do organismo onde não se vê envolvido o sistema imunológico a diferença de uma alergia no caso em si é bem assim.

Existem dois tipos de intolerância ao sorbitol:

  • Intolerância primária: ocorre por uma deficiência da enzima transportadora do sorbitol, a GLUT5. Acredita-Se que existe um fator genético e que, por isso, vai se desenvolvendo ao longo da vida.
  • Intolerância secundária: não há uma influência genética, mas que ocorre como consequência de uma doença intestinal (gastroenterite, doença inflamatória intestinal, doença celíaca, etc.) que prejudica a borda da escova da mucosa intestinal, de forma transitória ou permanente. As células da mucosa intestinal contam com este borda em forma de escova para ter uma maior superfície de absorção.

Como se pode diagnosticar?

No caso de existirem sintomas ou evidências de sofrer este tipo de intolerância é importante a realização de um diagnóstico claro que o demonstre. Para isso existem dois testes diferentes:

Teste do Hidrogênio Espirado

A incapacidade por parte do organismo para absorver o sorbitol em sua totalidade faz com que seja fermentado pelas bactérias do cólon, produzindo uma grande quantidade de hidrogênio livre. O hidrogénio é o que se mede através do ar espirado e que dá idéia de se existe ou não intolerância ao sorbitol.

Para poder realizar esta prova corretamente você deve seguir algumas orientações prévias como:

  • Jejum mínimo de 8 horas
  • Evitar tomar laxantes ou antibióticos dias antes do teste para que não haja alterações na flora intestinal
  • Não fumar 2 a 3 horas antes da prova, já que o tabaco às vezes dá falsos positivos

Se o resultado final é positivo (Intolerância ao sorbitol) avalia o grau que existe (leve, moderada ou grave) e os sintomas que aparecem para poder determinar a dieta.

Teste de Curva de Glicemia

É uma prova a mais incômoda para o paciente já que antes e após a administração de uma quantidade de sorbitol é necessária a extração de várias amostras de sangue.

Sintomas que pode aparecer

O tempo decorrido entre a ingestão de alimentos com sorbitol e o aparecimento de sintomas é variável, desde 30 minutos até 3-4 horas, já que existem fatores, como o momento em que se consome ou de certas doenças, que influenciam. Entre os sintomas que podem ocorrer dor e distensão abdominal, gases, movimentos e ruídos intestinais, e/ou diarreia. Em alguns casos, também podem ocorrer náuseas, vómitos e dores de cabeça.

Não é frequente uma descida de peso acusada ou situações de desnutrição, mas em crianças com um alto grau de intolerância pode colocar em perigo um correto desenvolvimento e crescimento.

Recomendações nutricionais

  • Antes de modificar a sua dieta, é importante que você faça testes de intolerância, já que a exclusão, por decisão própria de determinados alimentos de sua dieta, pode fazer com que apareçam carências nutricionais.
  • Revise sempre a rotulagem nutricional de um alimento antes de seu consumo e certifique-se de que esteja isento de sorbitol.
  • Se você sofre de uma intolerância ao sorbitol severa, antes de usar produtos cosméticos ou de tomar qualquer medicamento, pergunte ao especialista sobre a composição.
  • Limita as frutas que têm maior conteúdo em sorbitol, pelo menos até que enviem os sintomas
  • Tenha cuidado se consumir habitualmente produtos light, já que é frequente que contêm sorbitol

Se você necessita de um aconselhamento recorrer a uma Nutricionista-Nutricionista. Lhe informa sobre os passos que você deve seguir para uma alimentação correta.

Comments closed

sintomas, tratamento e dieta para a candidíase

Tipos de Candidíase (formas Clínicas)

  1. Cutânea:Grandes e pequenos plieguesUñas: Onixis blastomicéticaGranuloma candidiásico
  2. MucocutáneaMucosa oral: muguet, glossite, queilitisMucosa genital: vaginite e balanitisMucosa digestivo: esofagite, gastrite, enterite e lesões perianalesMucosa bronquialCandidiasis mucocutánea crônica
  3. Candidíase InvasivaCandidemia: Transitória ou persistenteCandidiasis Localizada (em diferentes órgãos)Candidíase Sistêmica ou Disseminada
  4. Alérgica

Diagnóstico e tratamento da candidíase

O diagnóstico de uma infecção por leveduras se realiza através de um exame direto (geralmente pode-se observar presença de aftas, manchas e secreções esbranquiçada), exame microscópico, cultura de urina e outros estudos complementares. O diagnóstico de candidíase intestinal é um dos mais complicados, já que exige a demonstração de invasão da mucosa intestinal por Candida ou o isolamento repetido do microorganismo de lesões ulcerativas. Igualmente, como foi explicado anteriormente, a sua prevalência é baixa.

Causas da recorrência da candidíase

Causas da recorrência da candidíase

O tratamento de primeira linha, em todos os casos são medicamentos anti-fungos. No entanto, às vezes podem-se produzir uma série de complicações quando não responde ao tratamento ou se houver recorrência da infecção devido a:

  • O uso de antibióticos de amplo espectro, que favorecem a proliferação de fungos e diminuição da flora bacteriana protetora.
  • Algumas pessoas desenvolvem resistência aos anti-fungos pela presença de outras espécies de candidas ou por possuir um polimorfismo genético na seqüência para dectina-1, Y238X, que os predispõe a sofrer infecções recorrentes de Candida.
  • Os fungos intestinais podem ser considerados como um reservatório permanente no padecimento de candidíase vaginal recorrente.

Tratamento dietético para a candidasis

Diante destas problemáticas, vários estudos têm demonstrado que o consumo de probióticos pode ser positivo para diminuir a recorrência de infecções, por isso seu uso tanto na forma oral e vaginal (no seu caso) é usado cada vez mais junto ao tratamento medicamentoso (antibióticos e antifúngicos), com o objetivo de evitar a proliferação de fungos e bactérias, e melhorar a recuperação do paciente. As cepas mais utilizadas a nível oral seriam: Lactobacillus acidophillus, Lactobacillus rhamnosum, Bifidobacterium longum, Bifidobacterium bifidum, Saccharomyces boulardi, Saccharomyces thermophilus, entre outros

Os probióticos favorecem o equilíbrio dos agentes biológicos (bactérias e fungos), e estimulam a imunidade. Além disso, há uma série de nutrientes que podem ajudar a melhorar o sistema imunitário , como o Zinco e o Selénio e vitaminas como a a, C e e, substâncias fitoquímicas e os omega 3 que devem ser apresentados dentro de uma dieta saudável, com baixo aporte de açúcares simples e abastecimento adequado de energia e proteínas. Estas recomendações têm respaldo científico, enquanto que aquelas conhecidas como “dietas antifungicas” que propõem a eliminação total de frutas, de leite e de produtos fermentados, não mostraram, até o momento eficácia terapêutica.

Comments closed